TORRES NOVAS – Trabalhadores exigem fim do ‘lay-off’ na Rodoviária do Tejo

TORRES NOVAS – Trabalhadores exigem fim do ‘lay-off’ na Rodoviária do Tejo

Os trabalhadores das rodoviárias do Tejo, Lis e Oeste estiveram em acção de protesto junto da Rodoviária do Tejo, em Torres Novas, iniciativa que visou chamar a atenção para as dificuldades em que os funcionários se encontram devido ao lay-off implementado pela empresa e que fez com que os salários caissem para 570 euros líquidos. Num esclarecimento enviado para a nossa redacção, a União de Sindicatos de Santarém deu conta da exigência do fim desse mesmo lay-off, justificando este cenário pelo facto de o grupo de empresas em causa «repartir o seu capital social pela Barraqueiro/Arriva, cujo o maior accionista é Humberto Pedrosa, o mesmo que alega prejuízos nas empresas rodoviárias, mas negoceia milhões no sector aéreo e pela Transdev, grupo multinacional francês que ao longo de décadas transferiu para o estrangeiro os lucros gerados em Portugal».