TOMAR – Concelho viu nascer treze empresas enquanto três avançaram para a...

TOMAR – Concelho viu nascer treze empresas enquanto três avançaram para a insolvência. Só Santarém apresentou pior registo neste último indicador

A NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém – continua, em 2019, a analisar a criação de empresas no distrito de Santarém. Em janeiro houve um acréscimo na criação de sociedades, com registo para 193 empresas, sendo que todos os concelhos do distrito contribuíram para este número. Quanto aos líderes, destaque, sem surpresas, para os concelhos de Santarém e Ourém, à semelhança do que já aconteceu durante 2018. No que a Tomar diz respeito, a NERSANT registou a criação de treze sociedades, número que coloca o território nabantino na primeira metade deste “ranking”, atrás do líder Santarém, com 35, Ourém, 25, Abrantes, 19, Benavente, 15, Salvaterra de Magos, 14, e Torres Novas, também com 13. Seguem-se Almeirim e Coruche, com 11 empresas criadas em cada um dos territórios. Rio Maior contribuiu com 9 sociedades, Cartaxo com 7, e Chamusca e Entroncamento com 4, cada concelho. Alcanena criou três sociedades em Janeiro. Ferreira do Zêzere, Golegã e Sardoal criaram duas empresas e Alpiarça, Constância, Mação e Vila Nova da Barquinha viram nascer uma. Das 193 empresas, destaque para a área de Comércio a retalho em outros estabelecimentos não especializados, com predominância de produtos alimentares, bebidas ou tabaco (14), Comércio por grosso de animais vivos (13), Atividades de medicina (12), Compra e
venda de bens imobiliários (9), Restaurantes tipo tradicional (8), Manutenção e reparação de veículos automóveis (7), entre outras. A outro nível, também houve lugar a insolvências, sendo que neste particular Tomar teve três, contra quatro de Santarém, que foram os concelhos que aparecem no topo desta avaliação negativa.