TOMAR – Comissão de Protecção de Crianças e Jovens reúne para mais...

TOMAR – Comissão de Protecção de Crianças e Jovens reúne para mais um Encontro

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Tomar está a organizar o seu XII Encontro Anual, este ano com o tema “Entre Nós e Laços”. Realizar-se-á no próximo dia 21 de novembro no Auditório da Biblioteca Municipal de Tomar. Com este Encontro pretende-se refletir sobre a importância da família na vida das crianças e jovens. “Entre Nós e Laços”, é o tema escolhido. Quer-se refletir sobre os NÓS criados entre as pessoas, da sua vinculação, das amarras que as sustentam, da necessidade de conforto e segurança, da família como pilar na sobrevivência humana e não esquecendo a relevância da autonomia de vida. Quer-se também refletir sobre os LAÇOS criados entre as pessoas, nomeadamente daqueles que embora com aparência de bonitos, ao puxar-se por uma das pontas se desatam, que quando as relações são frágeis, vazias, superficiais, levam a situações de conflito, de divórcio, de rutura, de insegurança, de perda, de penalização dos mais frágeis, nomeadamente das crianças e jovens. Com este Encontro assinalam-se também duas efemérides: O Dia Internacional dos Direitos das Crianças assinalado a 20 de novembro. Foi a 20 de novembro de 1959 que se proclamou mundialmente a Declaração dos Direitos das Crianças e a 20 de novembro de 1989 que se adotou a Convenção sobre os Direitos da Criança. O objetivo da data é salientar e divulgar os direitos das crianças de todo o mundo. O Dia Europeu sobre a Proteção das Crianças contra a Exploração Sexual e o Abuso Sexual que se comemora a 18 de novembro, conforme aprovação pelo Comité dos Ministros do Conselho da Europa em 12 de maio de 2015. A temática da edição do corrente ano é “Empoderar as crianças para acabar com a violência sexual”. A exploração sexual e o abuso sexual de crianças são ainda uma realidade trágica para as nossas sociedades. Constituem uma violação séria dos direitos das crianças, têm um efeito duradouro e consequências prejudiciais para a vida inteira. Para evitar estes crimes, processar os autores e proteger as vítimas, quer-se assegurar que os pais, educadores, Organizações não-governamentais e decisores se centrem no problema, debatendo-o abertamente e apresentando medidas concretas para resolvê-lo.
Pretende-se que o Encontro seja um momento de reflexão e de aprendizagem. Ele é dirigido a profissionais da área da infância e juventude mas também à comunidade em geral (pais e cuidadores). O programa pode ver-se no cartaz junto. A inscrição é gratuita mas obrigatória.