PROENÇA-A-NOVA – Ribeira da Fróia recebe intervenção de 30 mil euros

PROENÇA-A-NOVA – Ribeira da Fróia recebe intervenção de 30 mil euros

Já estão a decorrer os trabalhos de limpeza seletiva do interior do leito da Ribeira da Fróia (inclui a remoção do lixo e desassoreamento) e nas suas margens (inclui desmatação seletiva, desramação, desbaste, eliminação de árvores caídas, remoção de lenhas e remoção final de resíduos) numa área de mil metros a montante da praia fluvial da Fróia que foi percorrida por um incêndio em 2003. Em 2012, toda a Ribeira da Fróia recebeu uma intervenção semelhante à que está a ser realizada atualmente. Com um investimento total de 30 mil euros, a intervenção enquadra-se na candidatura que a Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) apresentou no âmbito da Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020), através do Programa de Ação para Adaptação às Alterações Climáticas (P-3AC) ao Fundo Ambiental e que foi aprovada. Para além da Ribeira da Fróia, serão intervencionados outros cursos de água nos municípios que fazem parte na CIMBB, com um investimento global de 200 mil euros. No caso da Ribeira da Fróia, por ser uma zona rica em espécies florestais, a galeria ripícola será valorizada ambientalmente, de forma a colmatar o abandono humano que provocou a acumulação desordenada de vegetação heliófila (essencialmente silvas e matos). Depois da intervenção, a zona tem todo o potencial de se transformar numa mancha florestal de alto valor ambiental. “Se não existir qualquer intervenção, a sustentabilidade desta área florestal fica fortemente ameaçada, por um lado devido a uma competição forte da vegetação heliófila mas, sobretudo, pela grande probabilidade de destruição por incêndio”, lê-se no projeto. Desta forma, este cordão ripícola funcionará como linha de quebra do perigo de incêndio. A intervenção poderá ainda abrir caminho para outro tipo de ações mais específicas e também essenciais para a revitalização ecológica e funcional dos locais intervencionados como seja o desassoreamento pontual de alguns troços do curso de água e a recuperação de alguns açudes de forma a aumentar o volume de água retido no sistema ecológico.