OURÉM – Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários assinalou 108 anos de existência

OURÉM – Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários assinalou 108 anos de existência

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ourém (AHBVO) celebrou, este sábado, dia 4 de janeiro, o seu 108.º aniversário num clima familiar de alegria e convívio. Entre soldados da paz, corpos sociais, familiares, simpatizantes da AHBVO, demais corporações e entidades convidadas, foram aproximadamente 3 centenas as pessoas que, muito calorosamente, aplaudiram e felicitaram a instituição pelo seu aniversário. Presentes no aniversário estiveram, em representação do Município de Ourém, uma comitiva liderada pelo Presidente da Câmara Municipal, Luís Miguel Albuquerque, acompanhado pelos Vereadores Natálio Reis, Isabel Costa, Rui Vital, Cília Seixo e José Reis. João Moura, Presidente da Assembleia Municipal de Ourém esteve igualmente presente na cerimónia. O Presidente da Câmara Municipal começou a sua intervenção com uma palavra de agradecimento aos corpos sociais e aos 56 funcionários, pela entrega e profissionalismo com que diariamente desempenham as suas funções, assim como à associação pelo seu aniversário. Seguiu-se uma palavra também para o ano que recentemente terminou. 2019 foi um ano de elevado reconhecimento para os Bombeiros do Concelho de Ourém e Luís Miguel Albuquerque recordou a Menção Honrosa e o Crachá de ouro atribuídos ao Município pela Liga dos Bombeiros Portugueses. Para o Presidente da Câmara, estes são indicadores indesmentíveis do trabalho de excelência desenvolvido ao nível da Proteção Civil em Ourém. Foi também em 2019 que foi possível, após um processo complexo e trabalhoso, implementar o Plano Prévio de Intervenção, documento estrutural de máxima importância que só foi possível, também, com a ajuda e envolvimento direto das várias corporações de bombeiros. Ainda em 2019 foi possível apoiar a Secção de Bombeiros de Freixianda em 100 mil euros para obras de beneficiação da sua sede e firmar protocolos extraordinários com as 3 corporações do concelho de 5 mil, 10 mil e 25 mil euros para Caxarias, Fátima e Ourém, respetivamente. Em suma, e no que diz respeito ao apoio financeiro às Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Ourém, foi possível aumentar a verba de 400 mil euros em 2018 para 580 mil euros em 2019. O Edil referiu igualmente o apoio da Câmara Municipal aos Bombeiros, também, na área social. É disso exemplo o Cartão Social do Bombeiro, medida pioneira que prevê um conjunto de descontos e regalias para todos os soldados da paz ao serviço no Concelho de Ourém. Majoração de 10% no apoio à natalidade concedido pelo Município de Ourém, apoio de 250 € / ano para quem que esteja a frequentar um curso superior, apoio de 125 € / ano no apoio ao pagamento de propinas dos seus descendentes, redução de 30% nas taxas de saneamento, resíduos sólidos urbanos e tarifa fixa da água no concelho de Ourém, acesso ao parque de estacionamento subterrâneo da câmara municipal nas mesmas condições dos trabalhadores do município e acesso gratuito às piscinas municipais, cineteatro e museus do concelho. Estas são apenas algumas das medidas que todos os Bombeiros que aderirem ao Cartão Social do Bombeiro poderão beneficiar. Luis Miguel Albuquerque avançou ainda com a intenção de propor à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal uma proposta para que os Bombeiros Voluntários de Ourém possam também, no futuro ter um desconto no IMI que pagam no concelho de Ourém. Ainda na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal abordou o tema da aquisição de EPIs para os Bombeiros do Concelho, um investimento que rondaria os 300 mil euros para dotar os 300 bombeiros no ativo. Nesse sentido, e porque se trata de uma despesa avultada, o edil afirmou a intenção de, no decorrer de 2020, propor à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal a elaboração de protocolos com as 3 Associações Humanitárias do concelho com vista à aquisição deste equipamento de forma adequada e ajustada às necessidades de cada associação. Luís Miguel Albuquerque aproveitou ainda a ocasião para anunciar, através de novas medidas estruturais, um aumento da especialização da Proteção Civil no concelho de Ourém, com a efetivação do Gabinete Técnico Florestal (GTF). Este serviço concentrará um conjunto de ações e obrigações legais ligadas à floresta, à gestão de combustível, à recente necessidade de comunicação de Queimas e Queimadas e à gestão da Equipa de Sapadores florestais a cargo do Município de Ourém. O GTF tem ainda a incumbência de aplicar o plano de controlo da Vespa Asiática, acção que se prevê que em 2020 possa atingir os 800 ninhos destruídos. 08

SEM COMENTÁRIOS