ECONOMIA – Jogos e apostas online ganharam +444 mil novos jogadores no...

ECONOMIA – Jogos e apostas online ganharam +444 mil novos jogadores no ano passado

A atividade de jogos e apostas online parece ir de vento em popa e é cada vez mais aliciante. Para que se perceba o alcance do que acabamos de referir, basta estarmos atentos ao número de novos jogadores.
De acordo com o mais recente relatório do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), o número de novos jogadores registados atingiu a marca dos 444,5 mil no total dos primeiros nove meses do ano passado, mais 68,1 mil face ao período homólogo de 2019, altura em foram registados 376,4 mil.
Só no último trimestre de 2020, foram registados 156,8 mil novos jogadores, um acréscimo de 7,8 mil em comparação com igual período de 2019 e mais 26,5 mil relativamente ao trimestre anterior.
Qual o perfil de jogador em termos de idade?
Em termos etários, a 30 de setembro, o relatório indicava que cerca de 2/3 dos novos registos reportavam-se a jogadores com idade inferior a 35 anos, números que acaba por contribuir para que, no total dos jogadores registados, 62,1% se situassem entre os 25 e os 44 anos. Na mesma data, os indivíduos entre os 18 e os 24 anos representavam 22,5% do total de jogadores registados.
No acumulado do ano até setembro de 2020, o número total de apostadores em jogos e apostas desportivas online registou um expressivo aumento passando dos 969 mil registados em igual período de 2019 para os 1 milhão e 332 mil.
Este crescimento no registo de novos jogadores e a idade dos mesmos, está ligado a diversos fatores como a procura de momentos de lazer e de ganhos extra ou os bónus para experimentação que as casas de apostas online legais em Portugal oferecem são alguns dos fatores que ajudaram a criar este cenário de crescimento.
A este leque de “catalisadores”, junta-se a ainda a oferta de Apps de jogos e apostas online dos que se podem descarregar para um smartphone e a proliferação de portais especializados que ajudam a captar não só novos jogadores/apostadores, como fomentam uma experiência de jogo ou aposta mais consciente e responsável.
Entre eles encontra-se o ApostasOnline.pt, um portal especializado em análises de apostas online em Portugal que, para além de condensar toda a informação necessária quem se está a iniciar nesta atividade e oferecer bónus para fomentar a experimentação, também providencia análises e reviews detalhados sobre as melhores casas de apostas desportivas e casinos online, como por exemplo, “review Nossa Aposta” no site.
Estes quase meio milhão de novos jogadores acabaram por dar um impulso decisivo para que se atingisse um número recorde quer no total do volume de apostas, quer no valor de receita bruta registados durante os primeiros nove meses de 2020.
Com o auxílio destes novos jogadores, a atividade de jogos e apostas online chegou aos 3,97 mil milhões de euros em volume de apostas. Isto significa que, em comparação com o período homólogo de 2019, o volume de apostas sofreu um crescimento na ordem dos 1,5 mil milhões de euros em 2020.
Onde se aposta mais?
Ainda na rubrica do volume de apostas, o documento do SRIJ diz-nos que na categoria de jogos de fortuna ou azar online, 70% das apostas foram efetuadas em slots machines seguida dos 13,80% da Roleta Francesa e 6,74% e do Póquer (“não bancado” e em “modo de torneio”), no campo das apostas desportivas online, o futebol saiu vencedor com 80% do volume de apostas a recair sobre esta modalidade e, com particular destaque, para competições como a Primeira Liga portuguesa que surge com 7,7% do volume de apostas registadas seguida da Premier League e da UEFA Champions League que representaram, respetivamente, 7,5% e 7%.
Já no campo das receitas brutas, foram gerados cerca de 84,2 milhões de euros, valor superior em 30,1 milhões (55,7%) quando em comparação ao período homólogo de 2019, e superior em 15,5 milhões em relação ao trimestre anterior.
Uma última palavra para o número de jogadores que se autoexcluíram dos jogos e apostas online.
Em 30 de setembro do ano passado, no total das entidades exploradoras legalmente habilitadas, encontravam-se autoexcluídos da prática de jogo e apostas online 62,1 mil jogadores, mais 5,5 mil do que no trimestre anterior.
Segundo o relatório, esta variação trimestral é explicada pela autoexclusão da prática de jogo e apostas online de 11,7 mil jogadores e término da autoexclusão de 6,2 mil jogadores. Os jogadores autoexcluídos representavam cerca de 2,9% do total de jogadores registados em todas as entidades exploradoras, valor superior em 0,1 p.p. comparativamente ao período homologo de 2019 e ao 2º semestre de 2020.