ACTUALIDADE – Estado de Emergência: efeitos sobre a criminalidade e segurança rodoviária

ACTUALIDADE – Estado de Emergência: efeitos sobre a criminalidade e segurança rodoviária

Num comunicado enviado para a nossa redacção, a Polícia de Segurança Pública traça um quadro em torno do impacto do actual Estado de Emergência sobre a criminalidade, estabelecendo processos comparativos com outros períodos:

«1. No contexto do atual quadro do Estado de Emergência em Portugal, a Polícia de Segurança Pública tem dedicado grande atenção à variação da criminalidade e, especialmente, a algumas tipologias criminais que, potencialmente, poderão conhecer agravamentos e ou novas formas de concretização.

2. Na janela temporal de 13 a 31 de março de 2020, em comparação com o período homólogo de 2019, registamos as seguintes tendências no que concerne à criminalidade:

Uma diminuição da criminalidade geral na ordem dos 56%, com menos 5258 crimes registados,

Uma diminuição da criminalidade violenta a grave na ordem dos 42%, com menos 218 crimes registados.

3. Quanto aos crimes com maior crescimento, na mesma janela temporal, registamos:

Abandono de animas, com um acréscimo de 100%, correspondendo a mais 10 situações detetadas,

Burla com fraude bancária, com um crescimento de 67%, correspondendo a uma variação de 31 casos,

Furto em outros edifícios (que não residências ou estabelecimentos comerciais ou industriais) com arrombamento, escalamento ou chave falsa, com um acréscimo de 16%, correspondente a mais 7 ocorrências.

4. Quanto aos crimes com decréscimo mais acentuado, na mesma janela temporal, registamos:

Furto por carteirista, com um decréscimo de 91%, correspondente a menos 427 denúncias,

Ofensa à integridade física simples, com uma redução de 68%, relativo a menos 470 denúncias,

Roubo na via pública, com um decréscimo de 62%, relativo a menos 167 registos,

Furto em residência com arrombamento, escalamento ou chave falsa, com um decréscimo de 62%, relativo a menos 146 ocorrências,

Furto em veículo motorizado, com uma redução de 57%, relativo a uma redução em 459 ocorrências, e

Violência doméstica, crime no qual a redução se cifra nos 38%, com menos 336 ocorrências (quebra de 15% na totalidade do mês, cfr. retratado no N/comunicado de 03 de abril).

5. No que concerne especificamente ao crime de violência doméstica, cuja denúncia pode ser (também) concretizada por intermédio do email violenciadomestica@psp.pt., a PSP já iniciou a intensificação dos contactos pessoais com as vítimas de violência doméstica.

Pretende-se com estes contatos apurar da estabilidade da vivência familiar e, se necessário, proceder à imediata reavaliação individualizada de risco e reajuste das medidas de proteção da(s) vítima(s).

6. Já no que concerne à sinistralidade rodoviária, na mesma janela temporal e com a mesma base de comparação, registou-se um decréscimo de 49% dos registos, correspondente a menos 1236 acidentes, menos 5 vítimas mortais, menos 5 feridos graves e menos 456 feridos ligeiros.

7. No decurso deste espaço temporal a PSP concretizou ainda a detenção de 55 cidadãos por desobediência no quadro legal específico deste estado de exceção e procedeu ao encerramento de 226 estabelecimentos.

8. Foram ainda realizadas 2825 operações no quadro do estado de emergência, tendo sido controladas mais de 35 000 pessoas e cerca de 54 000 veículos e respetivos ocupantes.

A PSP regista, com agrado, um elevado grau de adesão da população ao quadro legal em vigor e às recomendações das autoridades de saúde e às restrições em vigor, apelando a todos os cidadãos para que mantenham esse comportamento, essencial à contenção da pandemia. A PSP manter-se-á vigilante e com um elevado empenho operacional, quer no apoio à população e às autoridades de saúde e toda a estrutura de proteção civil, quer na verificação sistemática do cumprimento dos normativos em vigor para o estado de emergência».

SEM COMENTÁRIOS