ABRANTES – Projectar regressa à casa de partida

ABRANTES – Projectar regressa à casa de partida

A 81.ª sessão da actividade PROJECTAR, de regresso à casa de partida, em Abrantes, propõe-nos mais uma sessão dupla, com a exibição de dois documentários, o primeiro dedicado ao Pavilhão de Barcelona, do arquitecto Mies van der Rohe, e o segundo sobre as Termas de Pedra, em Vals, do arquitecto Peter Zumthor, no auditório da sede da Delegação do Centro da Ordem dos Arquitectos no próximo dia 12 de Dezembro, pelas 19h00. https://www.youtube.com/watch?v=9RehyhkhUjs&feature=emb_logo. Ambos da série Architectures, o primeiro é dedicado ao Pavilhão Alemão de Barcelona, e foi realizado por Stan Neumann em 2009: No livro dos recordes da arquitectura, o Pavilhão Alemão construído por Mies van der Rohe para a Exposição Universal de Barcelona de 1929, é detentor do da relação reputação por metro quadrado de construção. Nunca um programa foi definido de forma tão estranha como o do Pavilhão. Para os patrocinadores oficiais, ele deve “representar a Alemanha actual, aquilo que nós fazemos, que nós somos e o que nós procuramos: a clareza, a simplicidade, a integridade.” Para Mies van der Rohe, o pavilhão deve ficar totalmente vazio, para que o arquitecto possa fazer arquitectura. O seu único mobiliário, são as duas famosas “cadeiras Barcelona” desenhadas para o Rei e Rainha de Espanha. Esta espantosa equivalência entre grandeza e gratuitidade, este desprezo pelo simples uso considerado como declínio e queda, vai assombrar toda a arquitectura do século XX. Considera-se geralmente o Pavilhão como o auge da carreira alemã de Mies van der Rohe. Depois, diz-se, começou a sua segunda vida, a sua vida americana.

SEM COMENTÁRIOS