ABRANTES – Atualização das tarifas da água, resíduos sólidos urbanos e saneamento

ABRANTES – Atualização das tarifas da água, resíduos sólidos urbanos e saneamento

Na reunião de Câmara realizada no dia 12 de janeiro de 2021, o Executivo Municipal aprovou, por maioria com os votos contra dos eleitos pelo PSD e pelo BE, a proposta de atualização das tarifas da água de abastecimento, recolha e tratamento de resíduos sólidos urbanos (RSU) e de saneamento para o ano de 2021. A tarifa da água terá um aumento residual de 0,8%, significando que um utilizador do tipo doméstico pague mais 09 cêntimos/mês, acrescido de IVA. Esta tarifa é atualizada pela necessidade de manter a sustentabilidade dos serviços de forma a não comprometer a qualidade dos mesmos – está a ser feito um investimento robusto no abastecimento de água às populações, a partir da albufeira de Castelo do Bode, para garantir segurança e qualidade – e ainda por causa do aumento do custo dos produtos de tratamento de água e da atualização salarial com os recursos humanos.
Tal como em anos anteriores, serão mantidos os tarifários especiais, nomeadamente o tarifário social com bonificações de apoio a famílias economicamente mais desfavorecidas e o tarifário destinado a apoiar as famílias numerosas. Quanto à tarifa de saneamento, em 2021 um cliente da tipologia indicada irá pagar mais 0,18€/mês, acrescido de IVA (o tarifário está indexado ao consumo de água). Importa salientar que nesta tarifa é deduzida a percentagem anual referente o valor do subsídio que resulta do acordo estabelecido entre o Município de Abrantes e a concessionária Abrantáqua no seguimento da aprovação da candidatura para financiamento comunitário a fundo perdido relativa à intervenção na ETAR dos Carochos, que desde o ano passado e até 2038 permitirá minimizar o aumento anual do tarifário que resulta do contrato. Isto quer dizer que, em 2021, caso não existisse o subsídio o cliente pagaria mais 0,48€/mês, acrescido de IVA. A tarifa relativa aos resíduos sólidos urbanos (RSU) terá uma atualização de 0,8%, para fazer face ao aumento dos custos com os postos de trabalho, quer devido ao aumento do salário mínimo nacional, quer por via das mudanças obrigatórias do posicionamento remuneratório. Esta atualização implica mais 05 cêntimos/mês nas tarifas de RSU. Na fatura ambiente irá fazer-se sentir o aumento de 100% na Taxa de Gestão de Resíduos (TGR), por decisão do governo da República, tendo o Presidente da Câmara salientado a sua veemente discordância com essa decisão, desagrado já expresso junto da Secretária de Estado do Ambiente. Este aumento implica que um cliente da tipologia indicada irá pagar mais 0,43€/mês.